skip to Main Content

Como é a recuperação da prótese de quadril?

A recuperação da prótese de quadril depende da cicatrização da ferida, Fisioterapia, uso de apoios de marcha e algumas medicações, e leva em torno de 3 meses ao todo.

Introdução

Uma das maiores preocupações dos pacientes que têm indicação de passar pela prótese de quadril, é como é e quanto tempo dura a recuperação da prótese de quadril.

E ao contrário do que muitos pensam, a recuperação após a cirurgia de prótese de quadril não é tão complicada ou dolorosa, mas sem dúvida, alguns cuidados precisam ser tomados.

RX da prótese de quadril | Dr. Felipe Bessa
Imagem ilustrando a prótese de quadril, e um RX da prótese de quadril.

Cuidados com a ferida operatória

Um dos aspectos mais importantes na fase inicial após a prótese de quadril, é o cuidado com a ferida operatória, uma vez que ela pode ser uma “porta de entrada” para bactérias.

Dessa forma, a ferida deve ficar coberta por curativo até sua cicatrização, que pode demorar de 2 a 3 semanas para ocorrer.

Recuperação da prótese de quadril | Dr. Felipe Bessa
Ferida operatória já cicatrizada, momento em que se retira os pontos. O tamanho do corte depende de alguns fatores, tais como peso e altura do paciente.

Nesse período, ela deve ser limpa com soro fisiológico no momento da troca do curativo, que pode ser feita a cada 2 dias. O curativo deve ser protegido no banho, para não correr o risco de molhar.

Existem alguns curativos especiais, que podem ser colocados ao término da cirurgia, que ficam 7 dias, não necessitando de troca nessa primeira semana. Um deles é o Aquacel, impregnado com prata, que reduz a incidência de infecções.

Opções de curativos que podem ser usados após a cirurgia de Prótese de Quadril | Dr. Felipe Bessa
Opções de curativos que podem ser usados após a cirurgia, tal como Aquacel Surgical e Opsite.

Após a retirada dos pontos, feita quando a ferida já está cicatrizada, não há mais necessidade de realizar curativos e o paciente pode tomar banho normalmente.

Fisioterapia durante a recuperação da prótese de quadril

A Fisioterapia é um componente essencial para a boa recuperação do paciente que passou pela artroplastia de quadril.

É sob supervisão do Fisioterapeuta que o paciente vai realizar exercícios para fortalecimento muscular, dando ênfase aos grupos musculares mais deficientes.

Recuperação da prótese de quadril | Dr. Felipe Bessa
Além disso, o Fisioterapeuta vai orientar o paciente em relação a como está a marcha, e se há necessidade de fazer ajustes no processo de voltar a caminhar.

A Fisioterapia também ajuda no ganho de mobilidade do quadril, que deve ser feita de forma gradual e segura.

Apoios de marcha na recuperação da prótese de quadril

Os apoios de marcha mais comuns são:

Apoios de Marcha | Dr. Felipe Bessa

  • Andador
  • Muleta
  • Bengala

No pós-operatório de prótese de quadril, o uso de apoios de marcha é obrigatório, principalmente nas próteses sem cimento, realizadas na grande maioria dos meus pacientes, uma vez que a fixação definitiva da prótese sem cimento no osso do paciente leva por volta de 4 semanas para ocorrer, processo chamado de osteointegração.

Nesse processo, o osso do paciente adentra microporos ao redor da prótese, garantindo uma fixação firme e duradoura da prótese de quadril.

Dessa forma, nas primeiras semanas é importante que o paciente utilize algum apoio para não colocar em risco a fixação da prótese.

Entretando, é importante salientar que as próteses sem cimento são colocadas pela técnica de press-fit (pressão), na qual entram muito apertadas no osso, já tendo uma excelente fixação, mesmo de imediato.

Ilustração do processo-de-osteointegracao
Imagem aumentada ilustrando o processo de osteointegração, apontado pelo *, no qual o osso do paciente entra nos microporos do revestimento poroso da prótese, gerando uma firme fixação da prótese no osso.

Geralmente, pacientes jovens já se adaptam às muletas no dia seguintes à cirurgia, utilizando 2 muletas por 2 a 3 semanas, e completando as 4 semanas com apenas 1 muleta.

Pacientes mais idosos, podem se sentir mais seguros com o andador na fase inicial, e ao longo das primeiras semanas fazem uma transição para muletas e bengala.

Independentemente de qual apoio de marcha o paciente utiliza, ele já anda no dia seguinte à cirurgia, apoiando o pé no chão, com pouca dor nessa atividade.

Prevenção de trombose

A cirurgia de prótese de quadril acarreta um risco moderado para a ocorrência de trombose venosa. Isso ocorre por 2 motivos:

  • A circulação sanguínea fica prejudicada no membro operado, favorecendo a formação de trombos nas veias
  • Os vasos sanguíneos podem sofrer uma lesão na sua camada interna (endotélio), o que também favorece a formação dos trombos

Dessa forma, todo paciente precisa fazer a prevenção (profilaxia) de trombose, que é feita com as seguintes medidas:

  • Medicações anti-coagulantes ou anti-agregantes: pacientes de baixo risco para trombose, utilizam o AAS (aspirina), enquanto pacientes de alto risco utilizam anti-coagulantes como Xarelto ou Eliquis. A utilização é por 1 mês após a cirurgia.
Recuperação da prótese de quadril | Dr. Felipe Bessa
Opções de medicações utilizadas para prevenção de trombose no pós-operatório de prótese de quadril
  • Meias elásticas: são colocadas ao término da cirurgia e são utilizadas por 1 mês. São as de baixa compressão (anti-trombo), e não apertam muito a perna.

Meias elásticas de baixa compressão

  • Deambulação e mobilização precoce: no dia seguinte da cirurgia, o paciente é estimulado a andar e mobilizar as pernas, facilitando a circulação sanguínea, essencial para a prevenção de trombose.

Controle da dor durante a recuperação da prótese de quadril

A prótese de quadril, ao contrário do que se pensa, não tem um pós-operatório muito doloroso. Isso porque o fator causador da dor, que é o desgaste na cabeça do fêmur e acetábulo é removido na cirurgia, com a colocação da prótese.

Sendo assim, os pacientes já percebem de imediato um alívio na dor, principalmente para deambular.

Além disso, com a realização da cirurgia pela via anterior, na qual não se fazem cortes em músculos e tendões, a dor é drasticamente reduzida em comparação às outras técnicas cirúrgicas.

Entretanto, algum grau de dor é apresentado pelos pacientes, e tal sintoma é controlado com medicações básicas como dipirona (Novalgina, Dorflex), anti-inflamatórios nos primeiros dias, e se necessário, opioides como Tramal ou Tylex.

Além disso, são realizadas compressas de gelo diversas vezes ao dia, que além de ajudarem na dor, reduzem o inchaço após a cirurgia.

Posições que devem ser evitadas no pós-operatório

Uma preocupação que se tem em pacientes que passaram pela prótese de quadril, é com a ocorrência de luxação da prótese, que é quando a parte do fêmur se desloca da parte da bacia.

Tal complicação, que não é comum, ocorre mais frequentemente com a via posterior. Dessa forma, o paciente é orientado a evitar algumas posições, tais como cruzar a perna e sentar em locais muito baixos.

Posições que devem ser evitadas no pós-operatório de prótese de quadril
Algumas das posições que devem ser evitadas no pós-operatório de prótese de quadril

Entretanto, tal complicação é atualmente rara, devido à utilização de cabeças da prótese maiores, que aumentam a estabilidade da prótese. Além disso, a realização da cirurgia pela via anterior também aumenta a estabilidade, tendo uma incidência quase nula de luxações.

Quando a cirurgia é realizada pela via posterior, recomenda-se que o paciente utilize cadeira de banho ou elevador de assento sanitário no banheiro por 6 semanas.

Alta do paciente

O tempo de internação é outra dúvida frequente.

A grande maioria dos pacientes recebe alta hospitalar 1 ou 2 dias após a cirurgia. Para receber alta, alguns critérios devem ser obtidos, sendo eles:

• Dor sob controle
• Boa aceitação alimentar
• Conseguir urinar sem dificuldade
• Conseguir andar, sentar e deitar sem grande dificuldade

Esses critérios são alcançados na grande maioria dos pacientes em até 2 dias, sendo infrequente que o paciente fique internado mais tempo que isso.

Tempo total de recuperação da prótese de quadril

Uma das perguntas mais frequentes quando da indicação de prótese de quadril é: “Qual o tempo de recuperação depois da prótese de quadril?

O tempo total de recuperação após a prótese de quadril, ou seja, momento em que o paciente não tem mais dor, já está com a força recuperada, anda sem mancar e sem dificuldades, e já readquiriu a mobilidade do quadril operado, costuma ser de 3 meses. Esse valor é uma média, podendo ser um pouco mais ou um pouco menos, dependendo de cada paciente.

Entretanto, é importante entender que muito antes disso o paciente já volta a realizar boa parte de suas atividades diárias, esportivas e de trabalho.

No dia seguinte o paciente já está andando. Com no máximo 3 semanas a ferida está cicatrizada, momento em que retiramos os pontos. Com 4 semanas, a maioria já não usa apoios de marcha.

O paciente está apto para voltar a dirigir em 3 a 4 semanas. Pode realizar atividades de trabalho sentado uma semana após a cirurgia.

Dentro de um mês já pode subir escadas, apoiando-se nos corrimãos.

Alguns pacientes voltam a fazer atividades como academia, caminhadas e bicicleta ergométrica dentro de 6 semanas.

Portanto, não é que o paciente fica “inválido” por 3 meses, mas esse é o período para o paciente esquecer que passou pela cirurgia.

Acompanhamento da prótese

Todo paciente que é submetido a artroplastia total de quadril necessita de acompanhamento, não só na fase inicial, mas também uma vez ao ano, para se avaliar se pode estar havendo algum processo de soltura ou desgaste na prótese de quadril.

Dessa forma, os retornos são feitos da seguinte maneira:

  • 3 semanas: retirada de pontos e avaliação de dor e capacidade de marcha
  • 6 semanas: avaliação de força muscular, mobilidade e deambulação, momento em que o paciente já não deve mais estar mancando e nem usando apoios de marcha
  • 3 meses: momento em que se espera uma recuperação total
  • 1 ano de prótese e a cada ano: avaliação do RX e da rotina do paciente

Durabilidade da prótese

Não existe um número absoluto em termos de durabilidade das próteses.

Mas com os novos materiais e implantes, na média, podemos falar que a prótese de quadril irá durar por volta de 25 anos, valor que pode sofrer interferência dependendo do nível de atividade física do paciente.

Todo tratamento deve ser individualizado e definido após uma avaliação médica criteriosa.
Consulte um especialista em quadril.

Referências
Sociedade Brasileira de Quadril
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Midwest Orthopaedics at Rush

Mayo Clinic

FAQ

1. Quando posso voltar a dirigir após prótese de quadril?

Essa resposta vai depender de alguns fatores. Se o quadril operado for o esquerdo e o carro for automático, o paciente está liberado para voltar a dirigir dentro de 10 a 14 dias. Em outras situações (quadril operado foi o direito e/ou carro não é automático), o paciente pode voltar a dirigir quando o controle neuro-muscular estiver recuperado, além de a dor estar sob controle, o que pode levar de 3 a 6 semanas para ocorrer

2. Quais atividades posso fazer com prótese de quadril?

Pacientes com prótese de quadril voltam a ter uma vida praticamente normal após a recuperação, retomando as atividades diárias. Em relação a atividades físicas, estão liberados para caminhadas, andar de bicicleta, natação, entrar em mar calmo, fazer musculação de forma moderada, além de pilates. Corrida é uma atividade permitida, porém o abuso dessa atividade, pode levar ao desgaste mais rápido da prótese. Atividades como tênis e futebol também são permitidas, porém com cautela evitando-se jogadas mais duras, que podem colocar a prótese em risco.

3. Quem tem prótese de quadril pode fazer sexo?

Atividade sexual é sempre uma dúvida de pacientes que têm prótese no quadril. Após a recuperação inicial, que pode durar de 3 a 6 semanas, os pacientes estão liberados para retomar a vida sexual. A realização da prótese pela via anterior, que garante grande estabilidade à prótese, dá uma segurança enorme para tal atividade.

4. Quais os riscos da prótese de quadril?

A prótese de quadril, assim como outras cirurgias, apresenta alguns riscos. Infecção é um deles, conhecido como rejeição. Sua ocorrência está entre 0,5 a 2%, e é minimizada com um procedimento asséptico, além do uso adequado dos antibióticos. Luxação, é quando a prótese sai do lugar, evento raro hoje com a utilização de cabeças grandes e da via anterior. Trombose é prevenida com medicações, meias elásticas e deambulação precoce. Soltura e desgaste da prótese ocorrem após vários anos, por volta de 20 a 25, com as próteses mais modernas.

Back To Top