skip to Main Content

Dor glútea profunda e Síndrome do Piriforme

O que é?

Dor glútea profunda é o nome genérico dado a patologias que causam dor na região das nádegas, geralmente por uma compressão do nervo ciático ou do nervo pudendo nessa região.

O que causa a Dor Glútea Profunda?

A dor na nádega é geralmente causada por uma compressão do nervo ciático na região glútea, que ocorre principalmente por um encurtamento ou contratura do músculo piriforme (um dos rotadores externos curtos do quadril), músculo que está em íntimo contato com o nervo, e daí a chamada Síndrome do Piriforme.

Dor glútea profunda | Dr. Felipe Bessa
Imagem ilustrando o nervo ciático (amarelo) e seu trajeto sob o músculo piriforme (vermelho), na região posterior (de trás) do quadril. Um encurtamento ou contratura desse músculo pode levar a uma compressão do nervo, causando dor na região glútea.

Entretanto, nem toda dor glútea profunda é causada pelo músculo piriforme, portanto, outras causas de dor na região das nádegas também devem ser investigadas; encurtamento de outros músculos, bandas fibrosas, alterações anatômicas e até mesmo endometriose podem ser causas de compressões nervosa no espaço glúteo profundo.

Além disso, bursites e tendinites e o impacto ísquio-femoral, este último, um contato anormal entre o fêmur e a borda do ísquio (região do osso pélvico, sobre a qual nos sentamos), por conta de uma diminuição da distância entres esses dois ossos, também podem levar a dor na região dos glúteos, bem como patologias na coluna podem apresentar sintomas similares.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da dor glútea profunda é complexo e depende da realização de uma anamnese bem colhida, um exame físico realizado minuciosamente e exames de imagem complementares, que auxiliam tanto no diagnóstico dessa patologia, quanto na exclusão de possíveis outras doenças.

Como é tratada a Dor Glútea Profunda?

O tratamento inicial é conservador, com medicações analgésicas, mudanças de atividades e Fisioterapia para analgesia, alongamento, reequilíbrio muscular, deslizamento neural e liberação miofascial.

Caso o tratamento inicial não seja efetivo, podem ser realizadas infiltrações locais com analgésicos e até mesmo toxina botulínica para relaxamento da musculatura contraturada. Em último caso, é indicado o tratamento cirúrgico para liberação do nervo ciático (neurólise) ou ressecção de estruturas anômalas responsáveis pela compressão nervosa.

O tratamento ideal deve ser individualizado e definido após uma avaliação médica criteriosa.
Consulte um especialista em quadril.

Referências
The Adult Hip – Hip Preservation Surgery – Clohisy, Beaulé, Della Valle
Hip Arthroscopy and Hip Joint Preservation Surgery – Nho, Leunig, Larson, Bedi, Kelly

FAQ

1. O que pode ser dor no glúteo?

Dor no glúteo pode ser uma compressão do nervo ciático na região das nádegas; umas das causas é uma contratura ou encurtamento do músculo piriforme; entretanto outras condições podem causar do no glúteo, como patologias na coluna e no quadril. Uma avaliação com especialista deve ser feita para o diagnóstico e tratamento corretos.

2. Como tratar dor no músculo piriforme?

A dor no piriforme, chamada de Síndrome do Piriforme ou Dor Glútea Profunda é tratada inicialmente com repouso de atividades físicas, medicações analgésicas e Fisioterapia, para reequilíbrio muscular, analgesia e alongamento. Casos persistentes podem ser tratados com infiltrações locais. A cirurgia é reservada para casos refratários ao tratamento conservador.

3. Como saber se tenho a síndrome do piriforme?

A Síndrome do Piriforme é uma patologia causada por uma contratura ou encurtamento do músculo piriforme, ou mesmo uma variação anatômica do nervo ciático que passa próximo a esse músculo, condições que levam à compressão do nervo ciático. Seu principal sintoma é dor na região glútea. Deve ser avaliada por um especialista em Quadril, com realização de testes específicos e exames de imagem para confirmar ou excluir esse diagnóstico.

4. Qual anti-inflamatório para síndrome do piriforme?

A classe de anti-inflamatórios recomendada para tratar a síndrome do piriforme é a dos anti-inflamatórios não hormonais, como cetoprofeno, diclofenaco ou celecoxibe. Mas não devem ser tomados sem uma avaliação e prescrição médica de especialista em Quadril.

Back To Top