skip to Main Content

Fraturas do fêmur

Por que elas ocorrem?

As fraturas do fêmur, principalmente na região do quadril, são muito comuns em pacientes idosos e com osteoporose não tratada, e geralmente ocorrem após quedas simples no ambiente domiciliar.

Devem ser evitadas com o tratamento da osteoporose e com a retirada de objetos que favorecem quedas como tapetes e enfeites no chão, com a instalação de apoios nos banheiros e corrimão em escadas.

Menos comumente, as fraturas de quadril acometem pacientes jovens, geralmente relacionadas a traumas de alta energia, como acidentes automobilísticos ou quedas de altura.

Fraturas do Fêmur | Dr. Felipe Bessa
Imagem ilustrando uma fratura do colo do fêmur

Quais são os sintomas da fratura de fêmur?

Os principais sintomas relacionados às fraturas de fêmur são:

  • dor súbita no quadril ou na coxa
  • deformidade na perna afetada (principalmente encurtamento e rotação externa)
  • incapacidade de andar ou mesmo de se levantar

Quais os principais tipos de fraturas do fêmur na região do quadril?

As fraturas mais comuns que acometem o fêmur na região do quadril são:

  1. Fratura do colo do fêmur
  2. Transtrocantérica
  3. Sub-trocantérica

Existe ainda um tipo incomum de fratura, chamado de fratura atípica do fêmur, que acomete pacientes que fazem uso prolongado (geralmente mais de 10 anos) de bifosfonados (medicação utilizada para o tratamento da osteoporose).

Tipos de Fraturas do Fêmur | Dr. Felipe Bessa
Na ordem vemos: fratura do colo do fêmur; fratura transtrocantérica; fratura sub-trocantérica e fratura atípica de fêmur.

Como as fraturas do fêmur são tratadas?

O tratamento da grande maioria dessas fraturas é com cirurgia no dia seguinte ou no máximo 2 dias após o trauma. Apenas pacientes com doenças cardio-vasculares, pulmonares ou neurológicas muito avançadas não são candidatos a passar por cirurgia.

Casos de fratura do colo do fêmur em idosos são tratados com a realização de prótese de quadril (total ou parcial); já em pacientes jovens, dá-se preferência para a fixação da fratura com placa e parafusos.

Já as fraturas transtrocantéricas são tratadas com fixação com uma haste metálica intra-óssea curta ou placa e parafusos, enquanto que as fraturas sub-trocantéricas ou fraturas atípicas são tratadas com uma haste metálica longa.

O objetivo é permitir a consolidação adequada do osso fraturado e uma rápida reabilitação para o paciente, evitando complicações relacionadas à imobilidade prolongada.

RX de bacia de paciente idoso que foi submetido a prótese nos 2 quadris | Dr. Felipe Bessa
Nesta primeira imagem vemos um RX de bacia de paciente idoso que foi submetido a prótese nos 2 quadris, devido fratura do colo do fêmur bilateralmente, em ocasiões diferentes. Na segunda imagem vemos uma lustração de como é a prótese de quadril.

 

Fraturas do Fêmur | Dr. Felipe Bessa
Na imagem vemos um RX de bacia de paciente que apresentou fratura transtrocantérica do fêmur esquerdo, tratada com haste céfalo-medular curta para fixação da fratura.

Como é a recuperação após a cirurgia?

Na grande maioria dos casos, o paciente é estimulado a andar com auxílio de andador no dia seguinte à cirurgia. Casos mais complexos exigem que o paciente fique um período de 3 a 4 semanas sem apoiar o membro operado no chão.

O paciente fica internado até apresentar condições clínicas adequadas, pouca dor e realizar algumas sessões de Fisioterapia, que será continuada após a alta hospitalar.

Os pacientes fazem uso de medicações analgésicas e anticoagulantes, para tratamento de dor e prevenção de trombose. Além disso, os pacientes devem iniciar o tratamento para a osteoporose, ou mudar o tratamento atual, caso já estejam sendo tratados, com o objetivo de evitar outras fraturas no futuro.

Geralmente, os pacientes têm uma boa evolução, e voltam a praticar suas atividades cotidianas.

O tratamento ideal deve ser individualizado e definido após uma avaliação médica criteriosa.
Consulte um especialista em quadril.

Referências
Sociedade Brasileira de Quadril (https://www.sbquadril.org.br/fratura-de-femur-orientacao/)
AO Trauma (https://surgeryreference.aofoundation.org/orthopedic-trauma/adult-trauma/proximal-femur/)
Rockwood And Greens – Fractures In Adults

FAQ

Como é feita a cirurgia de fratura de fêmur?

No caso da fratura do colo do fêmur, é feita a substituição do osso fraturado por uma prótese metálica (prótese de quadril). Já no caso dos outros tipos de fratura (transtrocantérica, sub-trocantérica e atípica), é feita a fixação da fratura com uma haste metálica dentro do osso, de maneira minimamente invasiva.

Quais os riscos de uma cirurgia de fêmur?

Assim como qualquer outra cirurgia, existem riscos associados ao tratamento cirúrgico de uma fratura de fêmur, como sangramento, trombose e infecção. Entretanto, esses riscos são minimizados com medicações e cuidados hospitalares adequados. Os pacientes que fazem a cirurgia no momento correto apresentam riscos menores do que os pacientes que demoram para fazer a cirurgia ou que não são operados.

Quanto tempo para andar após cirurgia de fêmur?

Na grande maioria dos casos, os pacientes andam com auxílio de andador ou muletas no dia seguinte da cirurgia, salvo pacientes com fraturas complexas, que devem permanecer 3 a 4 semanas sem andar após a cirurgia.

Quanto tempo demora para colar o osso do fêmur?

As fraturas do fêmur demoram geralmente 3 a 4 meses para consolidarem (colarem) por completo.

Back To Top