skip to Main Content

Reparo de lesão do glúteo médio

A ruptura do tendão do glúteo médio causa dor e fraqueza no quadril. Essa lesão deve ser operada para reparo da ruptura, para melhora dos sintomas.

O glúteo médio, junto com o glúteo mínimo, é o principal músculo abdutor do quadril, ou seja, que faz o movimento de abertura lateral do quadril e do membro inferior. Seus tendões estão inseridos na região lateral do fêmur, chamada de trocanter maior ou grande trocanter, que é aquele osso que palpamos na face lateral do quadril, muitas vezes confundido com a cabeça do fêmur (a cabeça do fêmur está na região profunda da virilha).

Por estarem em um compartimento relativamente estreito, entre o trocanter maior do fêmur e o trato iliotibial, estão sujeitos a um atrito local significativo, principalmente em pacientes do sexo feminino, que tem a pelve mais larga, por conta da gestação e parto.

Ao longo do tempo, esse atrito gera uma inflamação nos tendões, chamada de tendinopatia de glúteo médio e mínimo ou peritendinite dos glúteos médio e mínimo.

Essa patologia se apresenta com dor na região lateral dos quadris, principalmente em pacientes mulheres, entre 40 e 60 anos de idade, momento de maior inflamação e degeneração dos tendões.

Nesse grupo de pacientes também é comum a presença de bursite trocantérica, uma inflamação na bursa trocantérica, que por apresentar sintomas semelhantes aos da tendinite do glúteo médio, foi incluída no termo Síndrome Dolorosa do Grande Trocanter, que abrange as duas patologias.

Ruptura do Glúteo Médio | Dr. Felipe Bessa
Imagem ilustrando a inflamação do tendão do glúteo médio em associação com a bursite trocantérica

Em alguns casos, esse processo inflamatório dos tendões, ao ficar muito avançado, pode causar uma ruptura nos tendões.

Quais os sintomas da ruptura de glúteo médio e mínimo?

Quando o processo inflamatório evolui, causando a ruptura dos tendões, há uma piora da dor na lateral dos quadris, que fica mais difícil de ser tratada.

Além disso, o paciente começa a apresentar fraqueza desse grupo muscular, tendo dificuldades para caminhar ou subir e descer escadas, e chega a andar mancando, situação chamada de marcha em Trendelemburg.

Como é feito o diagnóstico de uma ruptura de glúteo médio e mínimo?

O diagnóstico da ruptura dos tendões do glúteo médio e mínimo é feito com a Ressonância Magnética. Tal exame avalia com precisão a situação dos tendões glúteos, mostrando o grau de inflamação e ruptura (se parcial ou total), além da extensão da lesão.

Ruptura parcial do tendão do glúteo médio | Dr. Felipe Bessa
Imagem de Ressonância Magnética evidenciando uma ruptura parcial do tendão do glúteo médio.

Além disso, a Ressonância Magnética mostra outras regiões e patologias do quadril, importante para confirmar se os sintomas são realmente causados pela inflamação e degeneração dos tendões glúteos ou por outro problema, como bursite trocantérica (link interno com artigo de Bursite Trocantérica) ou artrose do quadril (link interno com artigo de Artrose de Quadril).

Como é o tratamento?

Os casos de rupturas dos tendões do glúteo médio e mínimo são tratados inicialmente com medicações analgésicas e Fisioterapia, para fortalecimento muscular e analgesia local.

Entretanto, os casos avançados, principalmente os com rupturas totais dos tendões, dificilmente apresentam melhora com tratamento conservador, ocorrendo a persistência da dor e fraqueza no quadril.

Nesses casos, está indicada a cirurgia para reparo de ruptura de glúteo médio. Essa cirurgia é realizada com uma pequena incisão na lateral do quadril, sendo realizada a sutura dos tendões no local onde estavam originalmente inseridos, junto ao trocanter maior femoral, com o auxílio de âncoras, pequenos pinos bioabsorvíveis, com fios acoplados à sua extremidade.

Ruptura completa do tendão do glúteo médio | Dr. Felipe Bessa
Imagem ilustrando um quadril com ruptura completa do tendão do glúteo médio, visualizado na primeira imagem. Também nessa primeira imagem vemos uma âncora com seus fios acoplados já inserida no trocanter maior do fêmur e outra sendo inserida. Na segunda imagem vemos o tendão previamente rompido, reinserido no trocanter maior do fêmur, suturado com os fios das âncoras.

Tal procedimento permite que os tendões cicatrizem novamente em sua posição original, e ao longo do tempo o paciente volta a ganhar força muscular para abdução do quadril e apresenta melhora da dor.

Como é a recuperação da cirurgia?

A incisão para que a cirurgia seja realizada é pequena e a cirurgia é relativamente rápida. Dessa forma o pós-operatório costuma ser pouco doloroso, além de apresentar uma cicatrização da ferida operatória relativamente tranquila.

Entretanto, nas primeiras 4 a 6 semanas, é recomendado o uso de órtese anti-abdução no quadril operado, para evitar o movimento de abertura do quadril durante o período de cicatrização dos tendões, que poderia ser prejudicado no caso de um movimento brusco ou muito amplo.

Além disso o paciente é liberado para andar com auxílio de andador desde o primeiro dia após a cirurgia, devendo manter o apoio para marcha por aproximadamente 6 semanas.

O tratamento ideal deve ser individualizado e definido após uma avaliação médica criteriosa.
Consulte um especialista em quadril.

Referências
OrthoInfo (https://orthoinfo.aaos.org/en/diseases–conditions/joint-replacement-infection/)
Mayo Clinic (https://www.mayoclinic.org/tests-procedures/hip-replacement/about/pac-20385042)
Sociedade Brasileira de Quadril (SBQ)

FAQ

1. O que pode ser dor na lateral do quadril?

Dor na lateral do quadril é um sintoma extremamente comum, principalmente em mulheres entre 40 e 60 anos de idade. Suas principais causas são a bursite trocantérica, tendinopatia de glúteos médio e mínimo e o ressalto externo do quadril.

2. O que é glúteo médio?

Glúteo médio é um músculo que se origina na parte externa da bacia, em ambos os lados e se insere na região do fêmur chamada de trocanter maior ou grande trocanter. Ele é o principal abdutor do quadril o seja, o músculo responsável por fazer a abertura do quadril. Como é constantemente recrutado e muitas vezes está sob atrito entre o trato iliotibial e o trocanter maior, ele pode ficar inflamado ou degenerado, podendo em casos avançados, levar a ruptura do tendão.

3. Por que a pessoa manca?

Diversas são as doenças que fazem uma pessoa mandar. Artrose no quadril e joelhos, encurtamento de uma das pernas, fraqueza muscular e inflamações nos tendões são algumas das principais causas. Em relação às duas últimas, a fraqueza, inflamação ou ruptura do tendão do glúteo médio no quadril, pode fazer com que o paciente ande mancando de forma constante, devendo ser avaliado e tratado por um Especialista em Quadril.

Back To Top