Skip to content

Tratamentos para Dor no Quadril

Os tratamentos para dor no quadril podem incluir medicações, Fisioterapia, infiltrações e cirurgia, dependendo da causa exata da dor e resposta ao tratamento inicial.

A dor no quadril é um problema extremamente frequente na população, seja ela jovem, adulta ou idosa. Os tratamentos para a dor no quadril vão depender da sua causa exata, podendo ser algo simples como uma medicação ou Fisioterapia, passando por infiltrações e em último caso, cirurgia.

Portanto, considerando essas modalidades de tratamentos, vamos ver em quais situações cada uma está indicada. Continue lendo!

Medicações

As principais medicações usadas pelo Ortopedista de Quadril são os anti-inflamatórios. Servem para uma gama enorme de patologias do quadril, e tem a função de aliviar dor e reduzir processos inflamatórios.

Os médicos utilizam anti-inflamatórios em boa parte das doenças do quadril, como tendinites, bursites, contusões e artrose. Esses medicamentos tendem a reduzir a dor no quadril, com efeitos variados de paciente para paciente, podendo resolver a dor definitivamente ou apenas proporcionar alívio temporário por alguns dias.

Dessa forma, não se consideram os anti-inflamatórios como uma cura definitiva para a maioria das dores no quadril, mas sim uma forma de aliviar a dor.

Medicações com ação similar são os corticoides, que também têm efeito anti-inflamatório. Na Ortopedia, os mais utilizados são os injetáveis, tais como dexametasona (Decadron® e Dexa-citoneurin®) e a betametasona (Diprospan®, Betatrinta® e Duoflam®). Essas medicações podem causar picos de glicemia e portanto não devem ser usadas em pacientes diabéticos.

Além dessas, também existem os analgésicos, tais como dipirona (Novalgina®, Dorflex®), paracetamol (Tylenol®) e os opiódes, tais como Tramal®, Tylex® e morfina, mais potentes do que dipirona e paracetamol.

Agora falando especificamente da artrose do quadril (desgaste no quadril), além dos analgésicos, existem as medicações condroprotetoras (protegem a cartilagem). As principais formulações disponíveis são as de:

  • Glicosamina e condroítina: são componentes presentes naturalmente na cartilagem
  • Colágeno hidrolisado: sachês contendo colágeno em pó
  • Colágeno não-hidrolisado: comprimidos ou cápsulas

Os pacientes devem tomar tais medicações diariamente, mas não há comprovação evidente de que evitam a piora ou curam a artrose. Entretanto, são muito seguras, fazendo com que muitos pacientes usem essas medicações no seu tratamento.

Fisioterapia

Apesar da enorme variedade de medicações existentes no mercado, nem sempre elas são suficientes para tratarem dor no quadril, fazendo com que diversas condições necessitem de um tratamento mais completo, com a realização de Fisioterapia.

As principais doenças que usualmente são tratadas com Fisioterapia são as bursites, principalmente a bursite trocantérica, tendinites, principalmente a tendinite de glúteo médio e mínimo, dor na nádega como a síndrome do piriforme, o impacto femoro-acetabular, e a artrose de quadril em estágios iniciais.

Na Fisioterapia, existem algumas modalidades de tratamentos para aliviar dor no quadril que o fisioterapeuta pode realizar com o paciente, tais como:

  • Analgesia com aparelhos como TENS, ondas curtas, ultrassom e calor
  • Liberação mio-fascial: uma espécie de massagem profunda em tecidos específicos, promovendo relaxamento muscular e estimulando a desinflamação
  • Mobilidade articular: existem manobras específicas para melhorar a mobilidade das articulações, e redução de fibroses e aderências
  • Fortalecimento: um dos principais componentes da Fisioterapia, importante para corrigir fraquezas e desequilíbrios musculares
  • Agulhamento seco: técnica que utiliza agulhas, que são inseridas em pontos gatilho, para reduzir a dor nesses pontos; é diferente da Acupuntura
Fisioterapia como o TENS | Dr. Felipe Bessa
Modalidades realizadas na Fisioterapia como o TENS, liberação mio-fascial e fortalecimento.

Um profissional médico deve recomendar a Fisioterapia após uma consulta detalhada, complementada ou não por exames de imagem, e um fisioterapeuta habilitado deve supervisionar a realização desse tratamento.

Infiltrações

Apesar do grande avanço nas medicações e técnicas de Fisioterapia, uma parte considerável das patologias que causam dor no quadril pode não melhorar com esses tratamentos, então, necessitando de técnicas um pouco mais invasivas.

Dessa forma, com muita frequência, realizamos infiltrações no quadril para o tratamento de:

Bursites e tendinites

Geralmente, realizam-se infiltrações com analgésicos e corticoides nos tendões e bursas inflamados. Tais infiltrações são feitas no próprio consultório, sem necessidade de internação hospitalar.

Tratamento de Bursite Trocantérica e Tendinite Glútea | Dr. Felipe Bessa
Infiltração sendo realizada para tratamento de bursite trocantérica e tendinite glútea, que não teve melhora com analgésicos e Fisioterapia.

Entretanto, essas infiltrações podem não promover a desinflamação necessária para aliviar a dor no quadril. Dessa forma, surgiram novas opções, entre elas o PRP (plasma rico em plaquetas), no qual retira-se sangue do próprio paciente, que é então colocado numa centrífuga que faz a separação dos glóbulos vermelhos, concentrando as plaquetas, que quando injetadas em um tecido inflamado, podem melhorar a inflamação.

Tratamentos para dor no Quadril | Dr. Felipe Bessa
Foto ilustrando o PRP. Coloca-se o sangue em uma centrífuga que separa os glóbulos vermelhos do plasma (líquido amarelo), contendo elevada concentração de plaquetas.

Artrose do quadril

Pacientes portadores de artrose no quadril, quando em estágios iniciais e intermediários, podem se beneficiar com a realização de infiltrações com ácido hialurônico, medicação que auxilia na viscoelasticidade, lubrificação e absorção de impacto na articulação. Além disso diminui a inflamação no quadril.

Tratamentos para dor no Quadril: infiltração dentro do quadril | Dr. Felipe Bessa
Imagem de radioscopia mostrando a infiltração dentro do quadril, e figura ilustrando a infiltração com ácido hialurônico para caso leve/moderado de artrose no quadril.

Entretanto, desenvolveram-se novos procedimentos denominados Terapias Biológicas. Esses procedimentos utilizam células do próprio paciente, obtidas do sangue (PRP), gordura abdominal, medula óssea ou cartilagem da orelha. Após coletar o material, prepara-se o enxerto em dispositivos específicos, que separam e concentram as células de interesse. Em seguida, infiltram-se essas células no quadril com artrose.

Tais células tem o potencial de se transformar nas células que produzem cartilagem, melhorando a qualidade da cartilagem na articulação. Chamamos essas células de células mesenquimais, que são similares às células-tronco.

Além disso, liberam diversas moléculas chamadas de citocinas e fatores de crescimento, que também ajudam na reparação da cartilagem com desgaste, além de diminuir a inflamação na articulação, consequentemente melhorando a dor no quadril.

Terapias biológicas

O principais procedimentos da classe das Terapias Biológicas são:

  • Aspirado de medula óssea concentrado: as células mesenquimais são obtidas aspirando-se medula óssea do osso da bacia. Esse material é concentrado em uma centrífuga, gerando o aspirado concentrado, rico em células mesenquimais.
  • Aspirado de gordura abdominal: as células mesenquimais são obtidas aspirando-se gordura abdominal, como se fosse uma lipoaspiração, porém removendo-se quantidade bem menor de gordura. O material aspirado é concentrado em um dispositivo, gerando um material rico em células mesenquimais.
  • Coleta de cartilagem da orelha: nesse procedimento é feita a coleta de um pequeno fragmento de cartilagem pela parte de trás da orelha. Tal material é colocado em um dispositivo que tritura a cartilagem, liberando as células produtoras de cartilagem.
Tratamentos para dor no Quadril | Dr. Felipe Bessa
Dispositivos utilizados respectivamente para o preparo de aspirado de gordura abdominal e da cartilagem retirada da orelha.

Além disso, para potencializar ainda mais o efeito de tais procedimentos, é possível associar a Radiofrequência, procedimento no qual “queima-se” os nervos que dão sensibilidade ao quadril, com auxílio de uma cânula conectada a um gerador, que emite a radiofrequência. Dessa forma, os estímulos dolorosos gerado pelo quadril não chegam ao cérebro, que é o órgão que realmente sente a dor.

Radiofrequência e Radioscopia: Tratamentos para dor no Quadril | Dr. Felipe Bessa
Cânula e gerador utilizados para a realização da Radiofrequência, e radioscopia utilizada durante o procedimento, para guiar os pontos de colocação das cânulas.

Cirurgias: Tratamentos para dor no quadril

Quando os procedimentos acima não são eficientes ou em casos já muito avançados, as cirurgias têm um papel importantíssimo no tratamento dos pacientes.

Cada doença tem uma cirurgia específica. Vamos descrever algumas delas aqui.

Artroscopia de quadril

A artroscopia de quadril é uma cirurgia minimamente invasiva, realizada com auxílio de uma câmera inserida no quadril e feita com pequenos instrumentos.

Realiza-se principalmente para o tratamento de dor no quadril causada pelas seguintes patologias:

  • Impacto femoro-acetabular
  • Lesão de lábio acetabular (lesão labral)
  • Presença de corpos livres dentro da articulação do quadril
  • Lesões da cartilagem

Por ser menos invasiva que uma cirurgia aberta, tem uma incidência menor de complicações, assim como uma recuperação mais rápida e menos dor no pós-operatório.

Artroscopia no Quadril | Dr. Felipe Bessa
Imagem ilustrando a artroscopia, realizada com uma câmera e instrumentos delicados e minimamente invasivos.

Descompressão da cabeça do fêmur

Realiza-se essa cirurgia para tratar a osteonecrose da cabeça do fêmur em estágios iniciais, ou seja, enquanto a cabeça do fêmur permanece esférica (sem colapso).

Nessa cirurgia, faz-se a remoção do osso necrótico com o auxílio de uma broca inserida no fêmur com um pequeno corte na pele. Então, preenche-se o defeito ósseo com um enxerto, podendo enriquecer com um dos exemplos de ortobiológicos descritos acima, principalmente o aspirado de medula óssea concentrado.

Descompressão da cabeça do fêmur | Dr. Felipe Bessa
Imagem ilustrando a realização da descompressão da cabeça do fêmur.

O propósito da cirurgia é remover o osso doente e estimular a formação de osso sadio com o auxílio dos enxertos. Entretanto seu resultado é satisfatório em torno de 50 a 70% dos casos, com alguns casos ainda persistindo com dor no fêmur.

Após a cirurgia o paciente deve permanecer 6 semanas sem apoiar o pé no chão para evitar o risco de achatamento da cabeça femoral e fratura do fêmur.

Prótese de quadril

A prótese de quadril é a cirurgia realizada para o tratamento de casos avançados de artrose do quadril, de osteonecrose da cabeça do fêmur com achatamento da cabeça femoral e para pacientes com fratura do colo do fêmur.

Tratamentos para dor no Quadril | Dr. Felipe Bessa
Tratamentos para dor no Quadril – Imagem ilustrando a prótese de quadril e RX de uma prótese no quadril direito.

Nessa cirurgia, faz-se a substituição da cabeça do fêmur por uma prótese metálica, que é uma articulação artificial, que permite que o paciente volte a mobilizar o quadril, andar, sentar e levantar e até a realizar atividades físicas, sem dor.

As prótese se desenvolveram muito nos últimos anos, assim, fazendo com que a durabilidade tenha aumentado muito, podendo chegar a 25 anos, permitindo que até mesmo pacientes jovens possam ser submetidos a tal cirurgia.

Sua recuperação costuma levar de 2 a 3 meses, mas o paciente já está apto a andar no dia seguinte, com auxílio de andador ou muletas.

O resultado dessa cirurgia é tão bom, que ela foi eleita como a Cirurgia do Século, tendo um elevado nível de satisfação pelos pacientes.

É importante ressaltar que todo tratamento deve ser individualizado e definido após uma avaliação médica criteriosa. Portanto, na presença de dor no quadril ou outros sintomas, consulte um especialista em quadril.

O Dr. Felipe Spinelli Bessa é um ortopedista especialista em Cirurgia do Quadril. Com as melhores especializações e sendo membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) e Sociedade Brasileira de Quadril (SBQ), ele pode te ajudar!

Entre em contato e agende uma consulta com o Dr. Felipe Bessa

Referências
Sociedade Brasileira de Quadril
Mayo Clinic
OrthoInfo

FAQ

1. O que pode causar dores no quadril?

Dores no quadril podem ter diversas causas. As mais comuns são tendinite de glúteos médio e mínimo, que assim como a bursite trocantérica, cursam com uma dor na região lateral do quadril. Outra causa é a artrose do quadril, que é um desgaste da cartilagem da articulação. Costuma causar dor na região da virilha, que piora ao andar, subir escadas e fazer atividades físicas. Por último, afetando pacientes jovens, uma outra possibilidade é o impacto fêmoro-acetabular, que costuma se apresentar com dor também na virilha, pior ao praticar esportes com impacto e/ou muita flexão do quadril.

2. O que fazer para aliviar dor no quadril?

Trata-se uma inflamação no quadril, como tendinite de glúteo médio e mínimo ou bursite trocantérica, com repouso, uso de anti-inflamatórios, compressas de gelo e fisioterapia. No entanto, em alguns casos, anti-inflamatórios e fisioterapia resolvem dores causadas por tendinite, bursite e lesões musculares. Quando esse tratamento não é suficiente ou a dor é causada por artrose inicial ou moderada, realizamos as infiltrações no quadril. Já em outras situações como artrose avançada e osteonecrose da cabeça do fêmur, o tratamento é geralmente com cirurgia.

3. Como tratar uma inflamação no quadril?

Pode-se tratar uma inflamação no quadril, como por exemplo tendinite de glúteo médio e mínimo ou bursite trocantérica, com repouso, uso de anti-inflamatórios, compressas de gelo e Fisioterapia. Já situações como a osteoartrite, um desgaste da cartilagem articular e inflamação na articulação, medicações e Fisioterapia podem não ser suficientes, assim, podendo necessitar de infiltrações e até mesmo cirurgia.

4. Quando é necessário cirurgia no quadril?

Reserva-se a cirurgia no quadril para casos que não melhoram com o tratamento não-cirúrgico, em doenças como o impacto femoro-acetabular e artrose leve a moderada do quadril. Já em outras situações a cirurgia é imprescindível, tais como a osteonecrose da cabeça do fêmur, artrose avançada, bem como boa parte das fraturas do fêmur.

Back To Top